18 de out de 2009

Entrevista com Muniz Sodré pela TV Universitária da UFES

O programa Corte Seco da TV Universidade Universidade Estadual de Feira de Santana (UFES) com Muniz Sodré. São três blocos em que o especialista aborda temas como ead, biblioteca mundial digital, copyright, digitalização de livros, domínio público, ecologia da máquina, filosofia/eletrônica, google, homem-máquina, mídia locativa.


Aborda a questão da digitalização dos livros sobre a inserção dos livros no Google. Muniz acredita que a remuneração do autor em questão de copy right deveria ser proporcionada pelo Estado por programas como bolsa de CNPQ. Dessa forma, o autor sentindo-se remunerado poderia disponibilizar gratuitamente suas obras na Internet.



Quando o Google se propõe a digitalizar os livros não seria democratização? Muniz acredita "que não é a multiplicação dos conteúdos que faz a democracia, mas a possibilidade que as pessoas reproduzam em seus respectivos lugares conteúdos culturais diferenciados. A simples distribuição apenas leva à repetição do que se distribuiu," defende.

Fala também sobre educação a distância, eletrônica, informática. Diz que a pedagogia ainda não compreendeu a questão da mídia. É preciso pensar nesse ambiente como ecologia da máquina...
Isso porque a máquina não é racional - sua fabricação, sim - em seu processo de construção, é sensível.




Virtualização do corpo...
Acredita "que ainda sabemos pouco da Internet..."
O "livro perdeu a centralidade simbólica... sua apresentação como uma única forma de acesso ao texto está condenada porque a leitura é cada vez mais plural...". Isso porque na internet se lê e escreve ao mesmo tempo, a isso Muniz chama de "lecto-escritura", não é mais leitura lineal pela possibilidade do hiperlink.

Vai a pena assistir a entrevista e compreender as novas possibilidades de leitura midiática...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar o meu blog. Responderei nesse mesmo espaço!
Abraços educomunicativos!