29 de jul de 2016

Educomrádio.centro-oeste


Você sabia que em Mato Grosso existe uma lei educom? A Lei Estadual nº 8.889/08, de 10/06/2008, de autoria do deputado Alexandre Cesar, dispõe sobre o programa “Rádio Escola Independente” com a implantação de mini-estações de rádio nas unidades escolares a fim de levar os alunos a trabalharem as áreas de ensino, códigos, linguagens, ciências exatas, humanas e sociais.



A lei é resultado do “Educomrádio.centro-oeste”, implantado na região Centro-Oeste entre os anos de 2003 e 2005 em 70 escolas de ensino médio – sendo 20 em Mato Grosso, 20 em Mato Grosso do Sul e 30 em Goiás. O projeto se desenvolveu por meio da parceria entre o Núcleo de Comunicação e Educação (NCE-USP), o Ministério da Educação (MEC) e as secretárias de educação dos estados envolvidos. Sua inspiração veio do “educom.rádio” desenvolvido nas escolas públicas da rede municipal de São Paulo a partir de 2001.

Desenhado como curso de extensão universitária, o acompanhamento operacional e as produções dos materiais de apoio didático destinavam-se a capacitar a comunidade escolar, a facilitar a aquisição dos conhecimentos e das habilidades necessárias para a prática dialógica, solidária e participativa do ambiente escolar.

A linguagem radiofônica foi escolhida por permitir o resgate da oralidade do aluno, o que propiciaria ampliação da autoestima. Contudo, outras mídias também foram trabalhadas, conforme apontaram os professores do curso de Comunicação Social da UFMT que integraram a equipe formativa, dentre os quais: Ailton Segura e Claudia Moreira.

Em sua dissertação de mestrado defendida em 2007, Claudia Moreira demonstrou que o projeto permitiu a ampliação de espaços que garantissem a democracia das relações e a eficiência na condução de seus fluxos de informação. Uma das lembranças significativas de Ailton Segura se deu com a implantação da primeira rádio escolar indígena na aldeia de Sangradouro, próxima à Primavera do Leste-MT.

Não só rádio. Atualmente, a Seduc tem 150 projetos de Educomunicação nas escolas com atividades de fotografia, produção de vídeos, tecnologias educacionais, ambientes de redes sociais, robótica educacional, histórias em quadrinhos, dentre outros.

Ao unir pesquisadores do NCE-USP, do Conselho Estadual de Educação (CEE-MT) e da Seduc, o II Colóquio Mato-grossense de Educomunicação suscitou discussões que se mostraram promissoras para o desenvolvimento mais efetivo de projetos educomunicativos no Estado como apontou o presidente do CEE-MT, Carlos Alberto Caetano.


Antonia Alves é professora do Curso de Jornalismo da Unemat, sócia fundadora e membro da diretoria da Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação (ABPEducom), com mestrado em Ciências da Comunicação pela ECA-USP.antoniaalves@unemat.br

Coluna semanal do site Fato & Notícia - 29/07/2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar o meu blog. Responderei nesse mesmo espaço!
Abraços educomunicativos!