22 de dez de 2016

Capítulos de livros nas publicações da ABPEducom

Recentemente a Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação lançou uma série de e-books nos quais participei com alguns artigos. O lançamento se deu no dia 5 de setembro de 2016.

Foram dois artigos no e-book Educomunicação e Diversidade: múltiplas abordagens um enfocando o jornalismo ambiental e outro foi o relato de uma mesa redonda que se realizou durante o VI Encontro Brasileiro de Educomunicação.

No e-book Educomunicação e diversidade: integrando práticas, o artigo foi sobre a produção de pautas na Revista Se Liga. Já o artigo sobre as práticas educomunicativas no material didático salesiano foi apresentado no ebook Educomunicação e alfabetização midiática: conceitos, práticas e interlocuções.

10 de ago de 2016

Protagonismo educomunicativo nas escolas

Alunos em escola de São José dos Campos produzindo
um jornal mural interativo durante festa junina da escola

No último artigo indaguei sobre o espaço reservado ao protagonismo dos alunos nas escolas. Então, qual o espaço que eles têm para se expressarem? Esse espaço se dá por meio de atividades curriculares ou extraclasses? Eles têm autonomia para decidirem sobre o que fazer, mediante o acompanhamento de um educador? Durante o processo de trabalho, é percebida significativa melhora nas relações comunicativas no ambiente escolar?



3 de ago de 2016

Discussões educomunicativas em Mato Grosso


Dois colóquios em dois anos. Em 2014, o I Colóquio Mato-grossense de Educomunicação, concomitante ao SemiEdu 2014, apresentou experiências realizadas na UFMT, na Unemat, na Seduc e em escolas salesianas em Mato Grosso. Dois anos depois, as discussões no II Colóquio Mato-grossense de Educomunicação giraram em torno do jornalismo ambiental, Educomunicação socioambiental, protagonismo juvenil, direito à comunicação e afins.

29 de jul de 2016

Educomrádio.centro-oeste


Você sabia que em Mato Grosso existe uma lei educom? A Lei Estadual nº 8.889/08, de 10/06/2008, de autoria do deputado Alexandre Cesar, dispõe sobre o programa “Rádio Escola Independente” com a implantação de mini-estações de rádio nas unidades escolares a fim de levar os alunos a trabalharem as áreas de ensino, códigos, linguagens, ciências exatas, humanas e sociais.

15 de jul de 2016

Educomunicação. Edu… o quê?


Edu… o quê? – os militantes da Educomunicação já se depararam com essa pergunta quando dizem que atuam sobre esse paradigma que tem origens nas práticas libertárias de comunicação popular e alternativa na América Latina que se desenvolveram desde os anos de 1970.

O neologismo foi utilizado, inicialmente, pela Unesco para designar as práticas de “educação para a comunicação” por meio de uma leitura crítica dos meios de comunicação na década de setenta. Enquanto que o designativo “educomunicador” fora utilizado por Mario Kaplun em sua proposta de comunicação educativa no Uruguai.