23 de fev de 2014

Educomunicação será discutida no Confibercom 2014

Educomunicação será discutida no Confibercom 2014 que se realiza entre os dias 13 e 16 de abril de 2014, na Universidade do Minho, em Braga-Portugal. Os pesquisadores da Associação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação (ABPEducom) marcam presença com artigos que abordam projetos interdisciplinares, protagonismo juvenil e jornal escolar.


Educomunicação na educação básica: dos projetos ao protagonismo juvenil é artigo de autoria do professor Ismar de Oliveira Soares, Antonia Alves Pereira e Cristiane Parente de Sá Barreto. Quando um jornal escolar torna-se o jornal da cidade, assinado por Cristiane Parente, Antonia Alves e Helena Corazza.

Além de sócios fundadores da ABPEducom, os pesquisadores são vinculados a diversas instituições. O professor Ismar é presidente da ABPEducom, coordenador do Núcleo de Comunicação e Educação (NCE-USP), professor da ECA-USP. 

Cristiane Parente é doutoranda do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho (Braga/Portugal), ex-diretora de comunicação da ABPEducom e ex-coordenadora do Programa Jornal na Escola da Associação Nacional dos Jornais (PJE/ANJ). 

Helena Corazza é doutoranda no PPGCom da ECA-USP e atua no Serviço à Pastoral da Comunicação (Sepac) das Paulinas. 

Antonia Alves é Mestre em Ciências da Comunicação (ECA-USP), professora substituta na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), diretora de comunicação da ABPEducom e pesquisadora do NCE-USP. É a animadora desse blog educomunicativo.


Confira os resumos dos papers:

Educomunicação na educação básica: dos projetos ao protagonismo juvenil
Este artigo descreve como redes de ensino absorveram o pensamento do Núcleo de Comunicação e Educação em suas práticas educativas a partir do levantamento de pesquisas acadêmicas realizadas de 2007 a 2013 na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. As pesquisas sobre o programa Educom.rádio da rede pública de educação da cidade de São Paulo (ALVES, 2007; TAVARES, 2007; FUNARI, 2007; BRUNI, 2010; BORGES, 2009) averiguaram a coordenação operacional baseada em processos comunicacionais, a mediação, a gestão, o planejamento educomunicativo e a expressão comunicativa dos alunos nos projetos. Por sua vez, nas redes privadas salesiana, Sesi e no Sistema COC (PEREIRA, 2012; ZANIN, 2013; ANDRADE, 2013; RODRIGUES, 2013), a preocupação residiu em encontrar indícios de abertura ao paradigma da Educomunicação em sua gestão, currículo, projetos interdisciplinares e material didático. Seja naqueles implantados com intencionalidade educomunicativa ou nos que dialogavam com essa perspectiva, os pesquisadores apontaram fortes evidências de que os processos de trabalho levam os alunos a se apropriarem de recursos midiáticos, tornando-se protagonistas na produção de cultura que beneficia o espaço escolar e a comunidade local.

Palavras-chave: Educomunicação, interdisciplinaridade, gestão de processos comunicativos, protagonismo


Quando um jornal escolar torna-se o jornal da cidade
Este artigo apresenta os significados do projeto Repórter por Um Dia, da Escola Estadual Antônio Vicente Azambuja, zona rural de Itahum, distrito de Dourados/MS, região Centro-Oeste do Brasil. O lugar, com 4,5 mil habitantes, passou a ter visibilidade e voz a partir do trabalho feito pelos alunos que, a partir do jornal escolar, passaram a reivindicar seus direitos e fizeram da escola lugar central na comunidade, assim como de seu "Informe A.V.A", veículo de comunicação local. A partir de observação participante, entrevistas e análise dos textos publicados; além do suporte de autores da educação e comunicação e conceitos como aprendizagem, autoria, narrador, participação e educomunicação, verificamos o quanto o projeto possibilitou novos olhares e discursos sobre Itahum, aprendizagem colaborativa e postura mais cidadã.

Palavras-chave: Educomunicação, Itahum, Jornal Escolar, Cidadania, Narradores

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar o meu blog. Responderei nesse mesmo espaço!
Abraços educomunicativos!