6 de nov de 2009

Radar Educomunicação I

Realmente, o ALERTA GOOGLE é muito eficiente. Estou cadastrada há alguns dias para a palavra "educomunicação" e as informações que recebo são muito boas e merecem destaque...


O Blog "Educação sexual nas escolas - troca de experiências" e a Agência de Notícias da AIDS publicam notícia com o título "A educomunicação pode contribuir para que jovens se previnam das DSTs e da aids, afirma professor da USP Ismar de Oliveira Soares", em 4/11/2009.

“A educação, por natureza, é comunicativa, enquanto a comunicação, por natureza, é educativa. Existe u
ma relação íntima entre as áreas”, completou Ismar, que é jornalista, doutor em Comunicação pela USP, com pós-doutorado pela Marquette University (USA).

Segundo ele, a educomunicação parte do pressuposto do exercício do direito de todos à expressão e à comunicação. “A criança, por exemplo, tem o poder de editar imagens, escrever um texto, construir significados, articular conhecimentos. É diferente do que acontece nos meios de comunicação de massa tradicionais”, explicou.

Ismar convidou dois jovens da Revista Viração para falarem sobre suas experiências. A revista foi criada em 2003 com o objetivo de unir jovens e adolescentes de todo Brasil em torno de princípios como a defesa dos direitos humanos, a educação para a paz e a pluralidade étnica e racial. Nesse projeto, que está ligado ao NCE, os próprios jovens colaboram em todo o processo.

“Não é preciso grandes recursos para a gente se comunicar. Nós, jovens, podemos nos apropriar das ferramentas de comunicação, principalmente com as novas tecnologias”, disse Rafael Siva, que integra e equipe da revista.

Micaela Cyrino, que colabora com a Escuta Soh – produção anual da Revista Viração que trata especificamente sobre questões relacionadas a HIV/aids – afirmou que a participação do jovem também é priorizada nessa publicação. “A gente prefere falar pela gente.” A ideia da Escuta Soh surgiu em 2007, no Encontro nacional de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/Aids de 2007.

Fonte: Agência de Notícias da AIDS


Educação para os Media no programa do Governo

O blog Comedu, de Portugal, publicou em 4/11/2009 notícia sobre o Programa XVIII Governo que menciona pela vez o desenvolvimento da Educação para os Media. A referência ocorre num ponto do capítulo dedicado ao "quadro dos incentivos à comunicação social" que passarão também, doravante, a ser concretizados "incentivando a participação dos meios de comunicação social na promoção de hábitos de leitura e no desenvolvimento da educação para os media.

Outra linha de incentivos passará pela "promoção de projectos que representem um efectivo acréscimo de valor social e cultural, incluindo o estímulo à criação de meios de comunicação social comunitários – não comerciais e com finalidade predominantemente social -, tendo em vista o aprofundamento do pluralismo e o reforço da integração de grupos minoritários ou com necessidades especiais".

Refira-se ainda que indirectamente a Educação para os Media surge também associada à televisão pública, já que essa é uma das atribuições que já se encontra plasmada no respectivo contrato de concessão e faz parte do programa do Governo este objectivo: "Reforçar a legitimação social do serviço público, promovendo a adopção de práticas internas de estudo e reflexão que permitam o apuramento sistemático do cumprimento das exigências de qualidade e diversidade da programação e assegurar o pleno cumprimento das respectivas obrigações legais e contratuais".

Fonte: Blog Comedu


Dar voz às crianças na rádio - diretamente de Portugal

"Desde esta segunda-feira, a grelha de programas da Antena 1 conta com um novo programa, Portugal dos Pequeninos, onde são entrevistadas crianças dos 3 aos 12 anos. "O objectivo é dar voz às crianças de Portugal (...) O que pensam sobre política, sobre ambiente, sobre a família. Com que olhos vêem a religião, a educação, o amor. "

Os programas "onde os miúdos são os protagonistas" ficam disponíveis no site da RTP e podem ser escutados na Antena 1 de 2ª a 6ª feira, às 17h56. A realização é de Sónia Morais Santos e a produção, de Joana Jorge.

Fonte: Blog Comedu


Curso de Formação em Educomunicação e Mobilização Comunitária – São Paulo

No blog "Cursos e Palestras de Jornalismo" há informações sobre o curso de formação em Educomunicação e Mobilização Comunitária. As ações do curso são voltadas a desenvolver a educomunicação como uma prática comunitária que garanta bem estar e educação a crianças e adolescentes que vivem nos centros urbanos caracterizados por grandes diferenças sociais. As atividades propostas nas aulas estão inseridas no contexto do projeto “Plataforma dos Centros Urbanos”, organizado por uma parceria entre UNICEF e Revista Viração.

Para se inscrever, o candidato deve comparecer ao endereço da Universidade de São Paulo (USP) informado abaixo com seu currículo e uma carta manifestando o interesse em participar do curso.

Quem organiza – Núcleo de Comunicação e Educação – NACE-NEC/USP
Onde – USP – Av. Prof. Martins Rodrigues, 443, bloco 22, sala 3; Sede da Revista Viração – Avenida Angélica, 1964 – São Paulo/SP
Quando – 7 de novembro a 19 de dezembro de 2009
Valor – gratuito
Prazo final de inscrição – 5 de novembro, às 11h
Vagas – 100Telefone – (11) 3091-4784
Site – Universidade de São Paulo

Fonte: Blog CPJ Cursos e Palestras de Jornalismo


Crianças e (ecos nos) Media

Mais uma do blog Comedu. Dessa vez gira em torno de reflexão sobre as crianças e a Educação para os Media de Sara Pereira, da Universidade do Minho.

Em entrevista à Revista Ginko, "defende o protagonismo da escola e prevê que, à semelhança do que se passou com a educação ambiental, serão as próprias crianças a sensibilizar os pais para um uso mais crítico dos media," explica a repórter.

[A Educação para os Media] sem dúvida que tem papel fundamental na compreensão crítica que as crianças podem fazer das mensagens e dos objectivos da publicidade. No entanto, deve ser sobretudo um meio para prepará-las, mais do que propriamente para protegê-las. Proporciona instrumentos de leitura dos media que as tornam públicos/consumidores esclarecidos, mais exigentes e com capacidades de interrogar mensagens e conteúdos. Se as crianças tiverem oportunidade de desenvolver estas competências ficarão melhor preparadas para viver e conviver com os media em geral. Mais importante do que proibir, retirar ou restringir é educar. Esta é também uma forma de proteger.

Ainda sobre Sara Pereira, a propósito de uma intervenção no seminário «A Cultura da Infância numa Sociedade Democrática: Contributos e responsabilidades - a mais valia da comunicação/informação», o JN dá destaque a um estudo que está a ser realizado na Universidade do Minho, sobre a presença das crianças na imprensa: Crianças em risco fazem vender muitos jornais:

De quase seis mil textos jornalísticos sobre crianças, publicados em 2008 em quatro jornais portugueses, 65% referiam-se a menores em risco. Conclusão: as crianças são "âncoras emotivas" que vendem muitos jornais.

Fonte: Blog Comedu


Ops...
O que estiver em lilás é grifo meu. O restante é conteúdo específico divulgado pela fonte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar o meu blog. Responderei nesse mesmo espaço!
Abraços educomunicativos!