19 de jan de 2011

Novo profissional na área da Comunicação

“Por que e para que é necessário um novo profissional da comunicação?” (Guillermo Orozco Gómez, Professor titular do Departamento de Estudos da Comunicação Social da Universidade de Guadalajara)

Muito se tem discutido a respeito da necessidade de um novo profissional da comunicação, tanto no campo acadêmico como no campo profissional.
Prova disso são os inúmeros textos e artigos que surgem, além das discussões em fóruns e redes sociais.
Mas a pergunta que norteia tais discussões é: será mesmo necessário um novo profissional na área de Comunicação?

As novas necessidades da sociedade tem nos levado a enxergar que o perfil do comunicador mudou, principalmente se considerarmos que os limites das áreas não estão mais tão definidos como antigamente.
Roseli Figaro, Professora da Universidade de São Paulo e do Curso de Especialização Gestão da Comunicação da ECA/USP, afirma que o que temos atualmente é um “borrar de áreas”.
Desse ponto de vista, a comunicação é fundamental para todo e qualquer profissional, o que implica pensar na comunicação como processo de organização social, capaz de identificar conflitos e fazer propostas para que, os envolvidos, possam resolvê-los.

Com tantas mudanças, sobretudo, no que diz respeito às tecnologias de informação e de comunicação, os profissionais da comunicação e também de outras formações de nível superior necessitam ampliar suas competências.
Exercer bem um papel profissional requer, daqueles que atuam em diferentes instituições sociais, tenham elas caráter de empresas privadas, setor público, não-governamental, de negócios ou de agência cultural e social, uma formação especializada em processos de comunicação.

Um bom exemplo é o crescimento pela demanda de profissionais que tenham um perfil de gestor social da comunicação.
Como afirma Guillermo Orozco Gómez, Professor titular do Departamento de Estudos da Comunicação Social da Universidade de Guadalajara, México, “um gestor comunicacional é um ser de linguagem, um mediador entre sujeitos que se comunicam, mas que estão colocados em diferentes situações e contextos, em distintas cotidianidades”.
Para tanto este profissional deve estar sensível às demandas de sua função e buscar renovar seus conhecimentos e aperfeiçoar suas habilidades.
O gestor de comunicação deve ser capaz de articular as diversas mídias e as diferentes linguagens da comunicação, da interpessoal àquela que a sofisticação da tecnologia permite.

Mais artigos e informações sobre esse novo perfil profissional e cursos de gestão da comunicação, visite o site www.eca.usp.br/gestcom.

Fonte: ECA/USP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar o meu blog. Responderei nesse mesmo espaço!
Abraços educomunicativos!